TOP 15

Acordei com saudades tuas. Há algum tempo que as saudades não me acordavam assim. Fiquei às voltas a relembrar-te. Quanto mais te relembrava, mais vontade sentia de te contar os meus dias, de saber dos teus. E mais saudades sentia de ti.
Eles gostavam um do outro. Tinham-se cruzado por acaso, mas não era apenas por acaso que se mantinham presentes na vida um do outro.
Este texto é para ti, que teimas em fazer-te de forte mesmo quando a dor te aperta por dentro.
Aprendemos a viver com as lágrimas a quererem sair-nos do peito, mas sem conseguirem. Elas estão aqui dentro, algures. Nós sentimo-las. Porque nos dói. Mas não saem.
Aperta-me nas tuas mãos. Olha-me com atenção. Deixa que os nossos olhares digam o que sentimos, o que guardamos em nós.
Já passou tanto tempo. Mas, todos os dias, lembras-te dele. É mais forte do que tu, não é?
Esquece-o. Precisas de seguir em frente. O passado já não pode ter o peso que ainda lhe dás. Já não faz sentido que o tenha.
Acordei com vontade de um dia contigo. Daqueles que só nós sabemos ter. Daqueles que animam, acalentam e reconfortam.
Quero-te comigo. Hoje. Quero-te neste espaço que fica entre o teu corpo e o meu.
Saudades das tuas mãos tranquilas, firmes, que me guiavam pela vida e que me mostravam o mundo.
Hoje, queria conseguir esquecer-me de tudo. Ou talvez não de tudo. Queria apenas conseguir esquecer-te.
Gosto de ti por quem és. É como se não precisasse de mais nada. O meu vício és tu.
Chega de desencontros.
Gosto tanto de ti. Mas sei que as palavras são apenas isso: palavras. E que os sentimentos se tornam complicados, quando fazemos questão de tentar explicá-los.
Amo-te. E isso está a dar cabo de mim.
error: Copyright © Este conteúdo está protegido!