Hoje, acordei contigo

16345
Ilustração © Laura Almeida Azevedo
Ilustração © Laura Almeida Azevedo, autorretrato

Hoje, acordei contigo. Mais uma noite e mais uma manhã em que me deitei e acordei contigo. Não ao meu lado, porque já aqui não estás. Mas contigo, em mim.

Hoje, acordei contigo e quase não conseguia respirar. Um nó na garganta. Um aperto no peito. Fiquei ali apenas a relembrar-te. Sem vontade de aceitar o novo dia. Sem forças para me levantar. A ouvir-te. A passear contigo. De mãos dadas contigo. No teu abraço. Nesse abraço que nunca te dei, porque a vida nunca nos permitiu esse tempo. Nesse abraço que te dou, tantas e tantas vezes, em pensamento.

Hoje, acordei contigo, como em tantas outras manhãs. Esta não foi a primeira, nem será a última. Basta-me que alguém me fale de ti, que o teu nome surja à minha frente. E tudo ressurge, de repente, como se tivesse sido ontem.

Hoje, mais uma vez, acordei contigo e senti o que sinto sempre: que acordar contigo é agridoce. Porque a saudade dói. É a falta que me fazes. É o que sinto por ti, ainda. Mas porque esta é também a única forma que tenho de te reencontrar. De olhos fechados, aqui.

E, por isso — mesmo doendo, doendo —, quando chegas, quando te deitas comigo, quando acordas em mim, nunca, mas nunca quero que vás.

PARTILHAR
Artigo anteriorSaudades de ti
Próximo artigoUm dia, talvez deixe de me doer
Laura Almeida Azevedo
36 anos. Apaixonada por palavras, desenho e comunicação. Viciada em música e chocolates. Fascinada por pessoas, emoções e cidades grandes. Licenciada em Jornalismo. Designer gráfico, ilustradora e autora do livro «Apetece(s)-me». E a desafiadora-mor da plataforma de escrita criativa: Desafio-te.