Atrás de ti, em mim

Nota: Este texto foi escrito ao som desta música. Carrega no play e deixa-te acompanhar.

Fecho a porta. Desço a escada. Vou. Vou depressa. Os meus pés, degrau após degrau, deixam-se levar por esta minha necessidade. Vão atrás de ti. Às escuras, degrau após degrau, o meu corpo deixa-se ir. Precisa, como nunca, de ti. Desço as escadas, sem olhar para trás, e vou. A noite fria lá fora. O silêncio. Os carros, tantos, de vidros embaciados. Os homens morenos, de chapéu, encostados às paredes baças da cidade. Os cigarros que encandeiam a noite. O chão frio, molhado, onde vejo — sem lá estarem já — as tuas pegadas. Ainda.

Fecho a porta e vou. Depressa, fujo do que fica para trás. Não quero olhar. Não consigo ver. Não sou capaz. A despedida fere. Qualquer despedida. Não me quero despedir. Não consigo. Nem de mim. Fujo do que fui: em mim, em ti. Do que foste: em ti, em mim. Vou depressa, cega de tudo. E vejo-te: algures, adiante, distante, além, agora, aqui. Enceto os meus pés na calçada molhada e a noite fria, tão fria, congela-me o rosto. Olho e procuro-te. Procuro-te e não te vejo. Volto a procurar-te. Preciso de ti. Preciso de ti e não te encontro.

[Onde estás?]

Há silêncio. E paro. Fico-me, de olhos fechados. O mundo morre aqui, em mim. Um buraco abre-se no chão, engolindo-me. Perco o equilíbrio. Grito. Acredito que vou morrer também, juntamente com o mundo. Abro os olhos, de repente, e é tudo, afinal, imaginação.

Fecho a porta e vou. Procuro-te.

Na noite escura e fria. Nos cigarros que encandeiam a madrugada. Nos degraus vãos, que sustentam o peso dos meus pés, do meu corpo, sem ti. No coração quente, descompassado, que se deixa perder na noite. Atrás de ti. Sem ti.

[Em mim.]

Olá! Eu sou a Laura, a autora deste blog e do livro «Apetece(s)-me». Sou também freelancer em desenho gráfico, ilustração, redação de conteúdos e gestão de redes sociais. Paixões? As mais simples: escrever, desenhar, música, varandas e cidades grandes. Atualmente, vivo em Londres!

  1. Andreia De Castro

    29 Junho

    WOW Laura.
    Tão intenso!

    Lindo, que junção foi perfeita da música com o teu texto.

    Beijinho *

    • Laura Almeida Azevedo
      Laura Almeida Azevedo

      29 Junho

      Obrigada. <3

Deixa aqui o teu comentário:

INSTAGRAM
SEGUE-ME NO INSTAGRAM
error: Copyright © Este conteúdo está protegido!
%d bloggers like this: