Amar-te tanto

Do livro «Apetece(s)-me»

15659
Ilustração © Laura Almeida Azevedo, do livro «Apetece(s)-me»
Ilustração © Laura Almeida Azevedo, do livro «Apetece(s)-me»

— Qual o maior pecado que cometeste até hoje?

— Amar-te tanto — respondi.

Ficaste a olhar para mim com um sorriso encantador nos olhos e abraçaste-me com uma gargalhada.

— Esse não conta. Esse é dos melhores que pode haver. Diz-me outro.

— O meu maior pecado foi comer três chocolates de seguida.

Durante anos, lutei para que este sentimento não tomasse conta de mim, mesmo quando sentia que esta paixão me levava a oscilar entre extremos.

Extremos violentos e súbitos, que me faziam espernear por dentro e que viravam o mundo inteiro contra mim. Pelo menos, dentro da minha cabeça.

Esta paixão doente, avassaladora, que desconfiava de cada telefonema, de cada atraso de cinco minutos.

Esta obsessão de te querer sempre perto, sempre meu, cego para o mundo e sôfrego por cada detalhe meu. Apenas meu.

Se não era a Marta, seria a Ana.

As vozes, na minha cabeça, a gritarem-me suposições. As vozes que não me deixavam dormir e que me faziam ficar horas, ao teu lado, na cama, a olhar para ti, para ontem: a medir possibilidades, a refrear emoções. E que me diziam que esta raiva e esta paixão desmedida iriam ainda ser, um dia, o meu fim.

— O meu maior pecado é amar-te tanto.

Hoje, compreendes o tanto que estava por trás destas palavras?

Contigo caído à minha frente, com o teu sangue ainda quente nas minhas mãos, à espera de calar, por fim, as vozes ensurdecedoras na minha cabeça.

Comigo a tentar que as noites sejam, de novo, sono e calma e a querer parar esta doença de não saber ter-te perto.

Comigo a procurar, no teu fim, o fim desta parte de mim. Esta parte que não me deixa ser.

Entendes, agora, como a paixão e o amor podem ser um pecado hediondo que molda para sempre a nossa vida? Que a limita? Que nos derruba, modifica e, irremediavelmente, nos destrói?

Acabou.

Hoje, quero dormir sem vozes. Sem ti.

Sozinha de tudo.

FONTELivro «Apetece(s)-me» [Marcador Editora]
PARTILHAR
Artigo anteriorVontade imensa de ti
Próximo artigoAtrás de ti, em mim
Laura Almeida Azevedo
36 anos. Apaixonada por palavras, desenho e comunicação. Viciada em música e chocolates. Fascinada por pessoas, emoções e cidades grandes. Licenciada em Jornalismo. Designer gráfico, ilustradora e autora do livro «Apetece(s)-me». E a desafiadora-mor da plataforma de escrita criativa: Desafio-te.