Estou aqui, onde me deixaste

34197
Fotografia & ilustração © Laura Almeida Azevedo
Fotografia & ilustração © Laura Almeida Azevedo

Estou aqui, onde me deixaste. Exatamente, no mesmo lugar.

Desde então, os dias passaram. Uns à frente dos outros. Tantas vezes, as manhãs acordaram novas e as noites vieram cheias de estrelas no céu e de silêncios a embalarem as madrugadas. Desde então, o verão passou. Depois, o inverno, a primavera. A vida passou por todos os lugares — menos por este, onde me deixaste.

Estou aqui, onde te vi partir sem que olhasses para trás. Sim, no mesmo lugar.

Se fechar os olhos, vejo-te ainda. Cada vez que fecho os olhos, falta-me o ar. Quero tocar-te. Quero pedir-te que não vás. Oiço violinos a chorarem aos meus ouvidos. E a vida inteira chora em mim: os dias, as manhãs, as madrugadas, o verão, o inverno e a primavera. A vida inteira chora em mim, aqui, exatamente aqui, onde me deixaste e onde ainda te vejo partir — sem olhares para trás.

Estou aqui. Para que outro lugar deveria ir, para fugir à dor e ao choro, quando tudo em mim ainda dói e ainda chora?

PARTILHAR
Artigo anteriorA minha dor é tua
Próximo artigoOs sonhos nunca podem morrer
Laura Almeida Azevedo
36 anos. Apaixonada por palavras, desenho e comunicação. Viciada em música e chocolates. Fascinada por pessoas, emoções e cidades grandes. Licenciada em Jornalismo. Designer gráfico, ilustradora e autora do livro «Apetece(s)-me». E a desafiadora-mor da plataforma de escrita criativa: Desafio-te.