A minha dor é tua

6865
Fotografia & ilustração © Laura Almeida Azevedo
Fotografia & ilustração © Laura Almeida Azevedo

A minha dor é tua.

Aperta-me a garganta, como se me faltasse o ar. Chora nos meus olhos, como se as minhas lágrimas precisassem de te contar os meus longos dias sem ti. Faz-me doer o peito, com tanta força, como se o coração precisasse das tuas palavras nas minhas, do teu abraço no meu. E precisam. Demasiado.

A minha dor é tua.

E açoita-me a coragem para seguir em frente. Tira-me a ousadia de me conseguir libertar do tempo. Arranca do meu corpo a quietude. Fá-lo sentir-se revolto, desorganizado. Fá-lo sentir-se incapaz de viver de coração cheio, outra vez.

A minha dor é tua.

E afunda-me os dias numa nostalgia sem tempo, que grita de boca fechada, que chora em silêncio — e o choro em silêncio… dói tanto, mas tanto, meu amor.

PARTILHAR
Artigo anteriorNão há tempo, nem distância entre nós
Próximo artigoEstou aqui, onde me deixaste
Laura Almeida Azevedo
36 anos. Apaixonada por palavras, desenho e comunicação. Viciada em música e chocolates. Fascinada por pessoas, emoções e cidades grandes. Licenciada em Jornalismo. Designer gráfico, ilustradora e autora do livro «Apetece(s)-me». E a desafiadora-mor da plataforma de escrita criativa: Desafio-te.