Não desisto de mim

6380

apeteces-meWebsite246

Há tanto de mim no meu silêncio. As minhas dúvidas. Os meus medos. As minhas fantasias de menina: a quererem fazer de mim uma menina-mulher grande. Os meus sonhos de adolescente. O acreditar que a vida pode ser sempre o que eu quiser fazer dela.

Há tanto de mim no meu silêncio ― aqui, a ouvir o mundo. Nunca estou sozinha. Tenho-me sempre a mim. Tenho sempre comigo o que vivi, quem sou e tudo o que ainda quero ser. E não há limites para o que quero ser. Não há limites para o tanto que exijo de mim própria. Quero sempre mais. Quero sempre ser melhor. Luto por isso todos os dias ― à minha maneira.

Quero ser (ainda) mais feliz. A minha vontade de sonhar nunca se esgota ― nem a de lutar, de acreditar, de querer vencer. Não desisto do melhor que a vida me pode dar. Não desisto de mim.

[Não desistam de vocês.]

PARTILHAR
Artigo anteriorE se brincássemos aos adultos?
Próximo artigoFazes-me falta
Laura Almeida Azevedo
36 anos. Apaixonada por palavras, desenho e comunicação. Viciada em música e chocolates. Fascinada por pessoas, emoções e cidades grandes. Licenciada em Jornalismo. Designer gráfico, ilustradora e autora do livro «Apetece(s)-me». E a desafiadora-mor da plataforma de escrita criativa: Desafio-te.