O amor não escolhe

532

apeteces-meWebsite227

Eu sei que já nada está como antes. Que a vida mudou-nos. Que as nossas lembranças não são apenas lembranças felizes. Que houve alturas em que queríamos descobrir o mundo juntos, mas que também houve outras em que nos queríamos esconder do mundo. Que fomos muitas gargalhadas na boca um do outro e tantos beijos doces nas manhãs. Mas, às vezes, também dissemos coisas que não queríamos – e essas coisas mudaram-nos. E o nosso coração ficou maior, mas nem sempre estar maior significa estar mais cheio daquilo que é bom e que nos faz felizes.

Eu sei. Mas o que eu sinto, por ti, é tão forte que não há maneira de me desligar disto. Porque o amor não escolhe. Porque as emoções não se controlam. Porque as marcas, que as pessoas deixam em nós, não se apagam só porque queremos. Porque, às vezes, o que a razão nos diz não tem voz suficiente para que a consigamos ouvir. Mas, sobretudo, porque, às vezes, é apenas o coração que manda em nós.

E, nessas alturas, meu amor, a única coisa que o coração nos permite fazer é aquilo, precisamente, que mais nos custa. E que é: sentir.

PARTILHAR
Artigo anteriorO dia em que te conheci
Próximo artigoExplicar o amor
Laura Almeida Azevedo
36 anos. Apaixonada por palavras, desenho e comunicação. Viciada em música e chocolates. Fascinada por pessoas, emoções e cidades grandes. Licenciada em Jornalismo. Designer gráfico, ilustradora e autora do livro «Apetece(s)-me». E a desafiadora-mor da plataforma de escrita criativa: Desafio-te.