É só isto que me importa

333

apeteces-me_website116
Vejo-lhe a fragilidade
humana e sinto vontade de o abraçar. Tem os dedos pequenos, as mãos frágeis, os olhos muito grandes cravados no meu olhar e ainda não sabe pronunciar qualquer palavra: apenas sons, apenas chorar.

Observo-lhe os traços, o sorriso genuíno que existe nos lábios finos e rasgados, brilhantes. Os cabelos poucos. As pestanas frágeis e muito negras. Chama-se André. E olha para mim. Estende-me os braços, as mãos. Toca-me na ponta do nariz e sorri com tanto entusiasmo.

Pego-o com cuidado e aproximo-o do meu peito. Ele fecha os olhos, descansado num repouso silencioso de filho no colo quente do pai. E adormece.

E é então que percebo: só isto pode importar. Só isto: este silêncio, enquanto sinto a sua respiração quente na minha pele.

PARTILHAR
Artigo anteriorHá dias em que a vida nos arrepia
Próximo artigoLábios que agarram para sempre
Laura Almeida Azevedo
36 anos. Apaixonada por palavras, desenho e comunicação. Viciada em música e chocolates. Fascinada por pessoas, emoções e cidades grandes. Licenciada em Jornalismo. Designer gráfico, ilustradora e autora do livro «Apetece(s)-me». E a desafiadora-mor da plataforma de escrita criativa: Desafio-te.