Tinhas o sorriso

372

apeteces-me038

Tinhas o sorriso prostrado em mim. Tinhas o olhar metido dentro do meu, agarrado ao que sou. Tinhas a voz suave, engasgada nas primeiras palavras, a soar devagar, com receio de fazer muito barulho. Tinhas o inesperado no teu rosto, a intensidade no bater nervoso do meu coração e o entusiasmo nas minhas mãos irrequietas – que não sabiam onde ficar.

Tinhas o hálito quente, com aroma a eucalipto, a convidar-me para um passeio a pé com vista para o mar. Tinhas a gargalhada desnorteada, que me fazia rir, que me devolvia o mundo, que era imensa, verdadeira. Tinhas o toque brando e cauteloso e o mistério sentados sobre o silêncio.

E o meu coração disparava, cada vez que te via. Com a garganta aflita, sem conseguir reagir, apertada dentro do meu corpo. Com o desejo e com o deslumbramento vestidos em mim.

Durante tanto tempo, foi assim. A ver-te. Sem coragem de gritar ao mundo este sentimento quente, gigante, que, todos os dias, me devolvia a vida. Esta vontade louca de dizer as palavras, de tocar os gestos, de encurtar a distância. Esta parte de mim a ser desassossego abrupto no meu peito, quente de ti, sem, contudo, te ter.

Gostamos de quem acontece gostarmos. Não de quem escolhemos.

PARTILHAR
Artigo anteriorAs tuas palavras nas minhas mãos
Próximo artigoSinto a tua falta
Laura Almeida Azevedo
36 anos. Apaixonada por palavras, desenho e comunicação. Viciada em música e chocolates. Fascinada por pessoas, emoções e cidades grandes. Licenciada em Jornalismo. Designer gráfico, ilustradora e autora do livro «Apetece(s)-me». E a desafiadora-mor da plataforma de escrita criativa: Desafio-te.